quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

A poesia de Manoel de Barros II


"O Tempo só anda de ida.
A gente nasce, cresce, envelhece e morre.
Pra não morrer
É só amarrar o Tempo no Poste.
Eis a ciência da poesia:
Amarrar o Tempo no Poste!"

E respondendo mais: "dia que a gente estiver com tédio de viver é só desamarrar o Tempo do Poste."

.

3 comentários:

  1. Assis,

    Maravilhosa junção de ideias!!!!!
    Adorei a sua escolha.
    bjs!

    ResponderExcluir
  2. Eliana,

    já ouvira falar do poeta, mas não tinha me detido ainda na sua pessoa e na sua obra. Outro dia, vendo um documentário sobre ele na TV, fiquei encantado. Lembra muito aquele universo da Adélia. Ele é muito bom. As vezes lembra Quintana e Drummond. Fiquei encantado!

    Bjs.

    ResponderExcluir